Categoria Para refletir

0

Batismo de sangue – 2007

Batismo de sangue

“Batismo de Sangue”, baseado em livro homônimo de Frei Betto, narra um período da história brasileira que ainda encontra-se em penumbras. No final dos anos 60, frades dominicanos, movidos por ideais cristãos, decidem transformar seu convento em uma trincheira de resistência à ditadura militar ao darem apoio ao grupo guerrilheiro Ação Libertadora Nacional, comandado por Carlos Marighella (Marku Ribas). Os frades são descobertos, presos e torturados. Esta é a saga dos freis Tito (Caio Blat), Betto (Daniel de Oliveira), Oswaldo (Angelo Antonio), Fernando (Léo Quintão) e Ivo (Odilon Esteves). Frei Tito foi torturado para que denunciasse seus colegas, contudo, permaneceu em silêncio sem delatar ninguém; no exílio, antes de suicidar-se, escreveu em sua Bíblia “Preferível morr...

Leia Mais
0

O grande ditador – 1940

grandeditador

“O Grande Ditador” foi para Chaplin a despedida do personagem Carlitos num filme de explícita crítica a Adolf Hitler e seu ideal ariano de purificação da raça. Enquanto os Estados Unidos faziam vista grossa aos desmandos do governo alemão e viam com simpatia as medidas adotadas por Hitler, Chaplin, de forma solitária, o denunciava. A ideia surgiu em 1937, a partir de uma troca de identidade, ao ver Hitler ostentar o mesmo bigodinho de Carlitos. Mais tarde, Chaplin, sempre avesso à sonorização do cinema, adotou neste filme o casamento perfeito entre a pantomima e o cinema falado. “Como Hitler, poderia discursar às multidões numa linguagem muito confusa; como Carlitos, permaneceria mais ou menos calado”...

Leia Mais
0

Se eu fosse você – 2006

seeufossevoce

A proposta é mudar a máxima “A minha liberdade termina quando começa a dos outros” para “A minha liberdade é garantida pela liberdade dos outros”. A isso chamamos de alteridade, que, como nos lembra o filósofo lituano Emmanuel Lévinas, é a necessidade de apreendermos o outro em sua plenitude, saber ir ao mundo do outro, saber conhecê-lo em relação às minhas verdades sem, contudo, impô-las. E, por meio dessa compreensão, reduzir a possibilidade de conflitos. Pois, “existo” a partir do outro e de sua visão. Em Se eu fosse você, Cláudio (Tony Ramos), publicitário, tem um casamento de longo tempo com Helena (Glória Pires), professora de música; já acomodados ao cotidiano, onde cada um guarda para si seus problemas e conflitos, até que em certo momento cada um ocupa o corpo do ou...

Leia Mais
0

Elsa e Fred – 2005

dor125000

Algumas pessoas falam que sentir-se velho é um “estado de espírito”, outros “que se trata apenas de um fator biológico”. Bobbio nos diz que o idoso vive ‘de’ e ‘em função’ das lembranças e que o tempo da memória corre em contraposição ao tempo real, ou seja, a vivência torna-se mais presente nas lembranças. A filósofa francesa Simone de Beauvoir traça um quadro realista e trágico em relação aos idosos e a nossa sociedade: “é um segredo vergonhoso e um assunto proibido”. A velhice reflete-se também na existência social, bem como na questão da sexualidade do indivíduo. O filme Elsa e Fred leva-nos a reformular alguns pré-juízos referentes a uma suposta velhice assexuada...

Leia Mais
0

Koyaanisqatsi – 1982

koyaanisqatsi

“O ano passou tão depressa!”, “Não posso falar contigo agora, estou sem tempo!” Quantas vezes ouvimos frases como estas? Essa compressão do tempo, ou mesmo um tempo assaz demorado que nos toma em contraponto à ansiedade. Mas, o que é o tempo? Essa questão nos foi apresentada por Santo Agostinho em seu Livro XI de Confissões. Um dos maiores pensadores do cristianismo identifica a existência do tempo com a própria vida, pois somente a alma tem a possibilidade de se estender para o passado ou para o futuro, restando ao homem apenas o presente. Um filme, como analogia ao tema, é Koyaanisqatsi, que significa vida em desequilíbrio, em desintegração, no idioma da tribo Hopi da América do Norte...

Leia Mais
0

Curtas da Casa – 2006

caixadvd

A Casa de Cinema de Porto Alegre lançou uma caixa com quatro DVDs, reunindo 38 curtas-metragens de ficção, documentários e especiais para a televisão. Os três títulos destacados: Ilha das Flores, O Sanduiche e Essa não é a sua Vida, abarcam conceitos interessantes para se pensar. O primeiro trata de forma sutil e irônica a questão do consumismo, da produção de bens e da dignidade humana; o segundo aborda a questão do real e da aparência, o que vejo é realmente o que vejo? E o terceiro é um documentário que traz à tona a vida de Noeli, uma moradora do subúrbio de Porto Alegre, escolhida aleatoriamente. O principio do qual parte o diretor Jorge Furtado é mostrar que as ditas “pessoas comuns” não são tão comuns assim. Há em cada indivíduo uma história de vida única...

Leia Mais
0

Violação de Privacidade – 2004

VIOLAO~1

Ética é daquelas coisas que todo mundo sabe o que é, mas que não é fácil de explicar.  Arriscando, diria que é a parte da Filosofia responsável pela investigação dos princípios que orientam o comportamento humano de modo específico, no que diz respeito à essência das normas e valores existente em qualquer realidade social. Baseado nessa ótica, Violação de Privacidade é uma intromissão em todos os momentos íntimos de uma pessoa. Em um futuro próximo todos recebem um implante de memória ao nascer, cujo objetivo é registrar todos os fatos da vida. Após a morte o implante é retirado e seu conteúdo editado, para exibição em uma cerimônia póstuma chamada Rememória...

Leia Mais
0

2001 – Uma odisséia no espaço – 1968

2001

O filme inicia no alvorecer da raça humana na África. Um grupo de primatas é expulso de sua fonte de água por um grupo rival. Naquela noite um monólito é colocado deliberadamente diante do grupo derrotado. A curiosidade leva aqueles primatas a tocarem, cheirarem, tentarem entender o que é aquilo que se apresenta diante deles. Aparenta existir uma indicação que o monólito instiga aquele grupo a desenvolver a descoberta e utilização do instrumento. É este instrumento que fará a passagem temporal para o futuro – em uma das cenas antológicas do cinema –, onde nos depararemos com o ser humano deixando sua terra e se dirigindo à lua para o desconhecido que lá se apresenta: o monólito. Stanley Kubrick e Arthur C...

Leia Mais
0

O show de Truman – 1998

o_show_de_truman_cartaz

Truman é uma pessoa especial, o mundo gira ao seu redor, todos sabem, menos ele. O filme narra a história de Truman Burbank (Jim Carrey) que desde o momento de sua gestação tem o acompanhamento ininterrupto de uma câmera de televisão, relatando 24 horas, sete dias por semana, tudo o que lhe acontece. O criador do programa, Christof (Ed Harris), conduz a vida de Truman, como um deus, cria-lhe um mundo extremamente falso para alguém que é visceralmente verdadeiro. “O Show de Truman” pode ser considerado uma obra profética, realizado em 1998, antes da febre de “Reality Shows” que assolou o mundo, onde todos os movimentos dos participantes são monitorados por telespectadores ávidos por uma falsa realidade...

Leia Mais
0

Janela da alma – 2002

Janela da alma

Qual é a pior cegueira? É a pergunta dirigida a nós por Saramago, e que, de certa forma pode ser o fio condutor deste documentário, após as diversidades de percepções de mundos ficamos em dúvida: será que realmente vemos o mundo? Enxergamos, quando enxergamos, o que queremos, o que está dentro de nossa possibilidade conceitual e cultural. Eugene Bavcar, um dos entrevistados, é fotógrafo e filósofo e afirma que todas as pessoas que enxergam são cegas, pois vivem em um mundo que perdeu a visão, no sentido em que a televisão é quem propõe as imagens, imagens prontas, tirando-nos a possibilidade de vê-las com o olhar interior. Reafirmando uma das falas do filme, vivemos hoje, verdadeiramente, a caverna de Platão, onde as sombras projetadas são tomadas como a realidade.

Jan...

Leia Mais