Bemvindo Sequeira tagged posts

0

Buster Keaton: o Rei do Riso Que Não Ria – Bemvindo Sequeira

Buster Keaton

Buster Keaton.

As novas gerações e até mesmo algumas mais velhas não o conhecem nem à sua obra.

Um dos maiores comediantes do século XX. Faleceu em primeiro de fevereiro de 1966.

Keaton foi considerado o grande rival de Chaplin. Protagonizava filmes mudos.

Porém sua principal característica é que jamais sorria nos filmes. Sempre sério era capaz das maiores tiradas de humor.

O humor nos filmes de Buster Keaton, basicamente, se fazia através das chamadas gags; corridas, quedas, fugas. Uma das grandes inovações de Keaton, no entanto, é o fato de sua comédia se basear num personagem impassível, que mantém as mesmas feições diante dos fatos ocorridos

Keaton nasceu no final do século 19 nos bastidores do vaudeville. Seus pais eram artistas deste gênero de variedades.

Entr...

Leia Mais
0

Bemvindo Sequeira

Bemvindo Sequeira

” Ator, autor, produtor e diretor de teatro, cinema e televisão. Nascido em Carangola, MG e Cidadão de Salvador – Bahia. Desde 2005,é contratado da Rede Record. Atuou em mais de 40 peças teatrais e na televisão, dentre suas interpretações de sucesso estão o Bafo de Bode na novela Tieta, e o Zebedeu na novela Mandacaru.
Fundador e dirigente de Entidades Profissionais na área dos trabalhadores e de autores, possui curiosamente o Registro Profissional número 01 do Livro 01 às folhas 01, na Delegacia Regional do Trabalho – DRT BA. Ao lado de Lélia Abramo, Vanda Lacerda e Otávio Augusto, participou da elaboração da Lei 6533 que regulamentou a profissão de Artista e Técnico no Brasil. Criador do moderno Teatro de Rua no Brasil em 1977 em Salvador...

Leia Mais
0

FORA DA LEI E A LEI SE FAZ – 2010 – Bemvindo Sequeira

Fora da Lei

Noite destas vi um filme muito bom, interessante, sobre três irmãos argelinos e a sua luta pela libertação da Argélia do jugo da colonização francesa: “Os Fora da Lei”

Vale lembrar que os colonialistas franceses foram dos mais desumanos, se é que podemos dizer assim. Basta recordar que no auge da guerra de libertação da Argélia para poupar balas o Exército Francês passava com caminhões sobre os prisioneiros.

Mas ao ver o filme caiu-me a ficha que todas as lutas de libertação dos povos  são, mais cedo ou mais tarde, vitoriosas.

É muito curioso este fato.

Os tiranos lutam, massacram os revoltosos, massacram seu povo,  como ocorre agora na Síria, e ao final a vitoriosa liberdade chega.

Na história dos povos não conheço nenhum que em perseverando não tenha conquistado a s...

Leia Mais